{ "data": [ { "event_name": "Purchase", "event_time": 1656095153, "action_source": "email", "user_data": { "em": [ "7b17fb0bd173f625b58636fb796407c22b3d16fc78302d79f0fd30c2fc2fc068" ], "ph": [ null ] }, "custom_data": { "currency": "BRL", "value": 1.99 } } ] "test_event_code:" "TEST15652" }
 

Peeling químico

O termo deriva do verbo “to peel” em inglês que significa descascar. Quando é realizado por um agente químico damos o nome de “Peeling químico”. Mas também existem os “peelings” realizados  por outros agentes, como aparelhos mecânicos (dermoabrasão) ou laser (“laser peel”/ resurfacing).

Quando  falamos em peeling químico nos referimos a aplicação de substâncias  químicas cáusticas, capazes de provocar  remoção da pele em diferentes graus, desde leve descamação até necrose da derme.

São várias as indicações em que podemos usá-lo: manchas (inclusive melasma), cicatrizes e fotoenvelhecimento (envelhecimento causado pelo sol). 

Exigem cuidados no pré e pós procedimento, como não se expor ao sol e não arrancar as “casquinhas”.  Durante a consulta combinamos os demais cuidados apropriados para cada tipo de procedimento.

 

O inverno é considerado a temporada dos peelings. 

 

Você já realizou o seu?

peeling.png